Você está aqui: HomeEntretenimentoMATÉRIA MPAC ajuíza ação direta de inconstitucionalidade contra Estatuto da Família

MATÉRIA MPAC ajuíza ação direta de inconstitucionalidade contra Estatuto da Família Destaque

Escrito por  Publicado em Entretenimento Sábado, 05 Maio 2018 13:08

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) ingressou, nesta sexta-feira (4), no Tribunal de Justiça do Estado do Acre (TJAC), com uma ação direta de inconstitucionalidade (ADIn) contra a Lei Complementar nº 46, de 2 de maio de 2018, que institui o Estatuto da Família, aprovada pela Câmara de Vereadores de Rio Branco.  

Subscrita pelo procurador-geral de Justiça adjunto para Assuntos Jurídicos, Sammy Barbosa Lopes, a ação é apresentada à presidente do TJAC, desembargadora Denise Bonfim, e requer a concessão de medida cautelar, sem audiência das partes, suspendendo a eficácia da lei para que não gere efeitos no ordenamento jurídico até julgamento final.

Na petição, Sammy Barbosa Lopes aponta as incompatibilidades da lei com os textos da Constituição Federal e com a Constituição do Estado do Acre, bem como, defende sua impugnação total por vício formal subjetivo insanável.

Segundo o procurador de Justiça, considerando que o Brasil é uma República Federativa e adotou o modelo político-jurídico de um Estado Democrático de Direito, a Câmara de Vereadores da capital não só extrapolou a sua competência legislativa ao legislar sobre direito de família como usurpou a competência da União sobre a matéria.

Para ele, a lei complementar traz uma visão reducionista de família — heteroafetiva e monoparental — e representa um ‘retrocesso civilizatório’ por violar princípios, direitos, garantias e valores consagrados pelas Constituições Federal e Estadual, o que significa a positivação do preconceito, discriminação e do fundamentalismo religioso.

“Assim, ao adotar o conceito reducionista de família, a lei em comento violou expressamente o artigo 5º da Constituição Federal, o princípio da igualdade e a garantia fundamental da não discriminação ali consagrados”, sustentou Sammy Barbosa Lopes.

Na ação, é citado também o entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) a respeito do conceito de família, sob o aspecto constitucional: “A Constituição de 1988, ao utilizar-se da expressão ‘família’, não limita sua formação a casais heteroafetivos nem à formalidade cartorária, celebração civil ou liturgia religiosa”.

Além disso, o MPAC manifesta preocupação com a previsão, na lei complementar, de políticas públicas voltadas a uma única forma de família, bem como, a subordinação dos programas oficiais em relação à educação moral, sexual e religiosa a convicções pessoais e à formação de ‘conselhos de famílias’ com a presença de entidades religiosas.  

“[…] Nota-se claramente que a lei municipal inquinada de inconstitucionalidade (s), no afã de privilegiar e positivar determinados dogmas de religião específica, olvida, de forma absoluta, todos os princípios e valores republicanos e do Estado Democrático de Direito, consagrados tanto na Constituição Federal — a Constituição Cidadã —, quanto na Constituição do Estado do Acre, ao adotar um conceito reducionista, preconceituoso, discriminatório e fundamentalista de família”, diz um fragmento da ação.

A lei complementar

Aprovada pela Câmara de Vereadores, a Lei Complementar nº 46, de 2 de maio de 2018, foi vetada pela prefeita Socorro Neri, que se baseou em um parecer da Procuradoria Geral do Município, além de manifestação da Comissão de Assuntos Legislativos e Comissão da Diversidade Sexual da Ordem dos Advogados do Brasil — Seccional Acre.

Por sua vez, o MPAC, em uma recomendação conjunta expedida pela Promotoria de Justiça Especializada de Defesa dos Direitos Humanos, 13ª Promotoria de Justiça Criminal com atribuições no combate à Violência Doméstica, Centro de Atendimento à Vítima (CAV) e Centro de Apoio Operacional às Promotorias e Procuradorias Criminais, apontou as inconstitucionalidades e as violações da lei. Apesar disso, os vereadores derrubaram por ampla maioria o veto da representante do Poder Executivo Municipal.

Jaidesson Peres- Agência de Notícias do MPAC

Fonte: portaltarauaca

Entre para postar comentários

 

« Setembro 2018 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30

Acre

    RRC TV

    Contatos

    Endereço: Justiniano de Serpa, n° 84, centro.

    Ricardo Galeria, Box 06

    Cidade: Tarauacá – Acre, CEP: 69970-000

    Telefone: (68) 3462-3015

    E-Mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.